Simples Agenda Blog para pequenas empresas

O que é e como elaborar um plano de tratamento odontológico?

ODONTOLOGIA

Redator Simples Agenda
14 min leitura 22/03/2022

Elaborar o planejamento e o plano de tratamento odontológico são processos fundamentais para garantir que casos mais complexos tenham um resultado satisfatório e evoluam para a alta do paciente.

O estudo do tema é tão importante que é visto desde a graduação de odontologia, sendo fundamental relembrar e atualizar o conhecimento a respeito.

E é por isso que o nosso texto de hoje é sobre planejamento e plano de tratamento odontológico. Aqui você vai relembrar o que é, qual a importância e como elaborar o plano de tratamento na sequência correta e otimizada.

O que é o planejamento e plano odontológico?

O planejamento odontológico é a etapa seguinte aos processos de exame e diagnóstico. É por meio dele que o profissional irá tomar a decisão clínica e definir o que vai ser feito durante o tratamento.

Na prática, o planejamento odontológico é um projeto do tratamento. Nele são descritas todas as etapas que serão necessárias e que podem, inclusive, envolver a adequação bucal e o suporte de outras especialidades da odontologia.

Com o planejamento finalizado, é hora de definir o plano de tratamento odontológico. Nele o profissional vai definir qual será a sequência adequada dos procedimentos que serão necessários para aquele paciente.

A soma de todas essas etapas, se realizadas adequadamente, levam ao sucesso do tratamento.

Qual a importância do planejamento e plano de tratamento odontológico?

Do mesmo modo que não é possível construir uma casa sem um projeto, o tratamento odontológico não se sustenta se o profissional não definir antecipadamente o planejamento dos procedimentos que serão realizados.

Além disso, a construção de uma casa também exige que os processos respeitem uma ordem: primeiro se regulariza o terreno, depois se constrói os alicerces, paredes e somente no final o acabamento. O mesmo vale para a odontologia.

Isso quer dizer que há uma ordem lógica para a realização dos procedimentos e ela é descrita no plano de tratamento odontológico. Por exemplo, procedimentos de adequação do meio bucal, vem antes do tratamento reabilitador.

Portanto, conclui-se que os dois processos são indispensáveis na rotina clínica e devem ser bem executados pelo dentista.

Como elaborar um planejamento odontológico do paciente?

Em casos simples, elaborar um planejamento odontológico parece desnecessário, por isso, muitos dentistas não criam o hábito de desenvolver um plano definido.

Mas, e se um paciente com caso bucal complexo chegar até o seu consultório, você se sentirá preparado para ajudá-lo?! O planejamento é fundamental para aumentar a assertividade do tratamento e evitar erros e complicações.

Ele deve ser feito até mesmo em casos simples, uma vez que colabora para a fidelização do clientepara a segurança do processo e colabora para redução da ansiedade de pacientes com odontofobia. Continue a leitura para entender como elaborar um planejamento de tratamento odontológico.

Faça uma boa ficha anamnese

Quando o assunto é planejamento, a ficha anamnese é um dos processos mais importantes. É por meio dela que você vai conhecer mais sobre o seu paciente e vai obter informações importantes que podem interferir na escolha do tratamento.

Por exemplo, caso o paciente seja diabético, em muitos casos, é necessário fazer o tratamento em mais etapas para acompanhar a cicatrização.

Também é importante conhecer possíveis limitações físicas ou hábitos do paciente que podem interferir na higiene bucal. 

Se necessário, deve haver uma adaptação da prótese, por exemplo, para que o indivíduo consiga manter a saúde bucal após a alta.

Durante a anamnese, você também deve entender qual é a principal queixa do paciente, investigar alergias, procedimentos anteriores, entre outras questões.

Todos os detalhes precisam ser considerados para que a efetiva reabilitação oral aconteça. Para saber mais, acesse o link e conheça as perguntas que não podem faltar na sua anamnese.

Defina o diagnóstico

O bom profissional clínico - independente da especialidade - deve ser capaz de identificar diferentes problemas de saúde bucal do paciente. 

Ou seja, ele deve ter uma noção geral sobre outras áreas da odontologia para que consiga fazer o diagnóstico correto de todos possíveis problemas.

Se necessário, o paciente deve ser encaminhado a um dentista especialista em outra área para que esse profissional realize parte do tratamento.

Portanto, ainda que você planeje todas as etapas, isso não quer dizer que você irá executar todas elas. Em muitos casos, é necessário realizar um tratamento clínico integrado com outros profissionais. 

Desenvolva o planejamento

Na hora de desenvolver o planejamento é fundamental conhecer diferentes opções de tratamento para o mesmo problema, considerando seus pontos positivos, negativos e as indicações para cada paciente.

Do mesmo modo, é fundamental avaliar o risco e o custo-benefício. Isso quer dizer, fazer a melhor escolha possível, considerando o contexto social, biológico e econômico do paciente.

Na hora de montar o plano, considere o tempo que você levará para executar cada etapa do planejamento. Afinal, você precisará responder para o paciente quantas sessões serão necessárias para finalizar o tratamento.

Conheça e pratique os protocolos

Outro ponto muito importante para que o planejamento seja efetivo, é conhecer e praticar os protocolos de saúde.

Como elaborar o plano odontológico?

Como vimos, o plano odontológico visa ordenar adequadamente os procedimentos que serão realizados para restaurar a saúde bucal do paciente.

Para elaborar o plano, você deve:

Definir a ordem dos procedimentos

Na hora de definir as atividades operacionais, você deve se atentar para:

  • As prioridades: considere as queixas do paciente e as emergências de saúde bucal;

  • A sequência: determinada pelas prioridades e pela sequência lógica de execução dos procedimentos. 

A ordem lógica seria: Emergências (se houver) > Cirurgias > Periodontia > Endodontia > Restaurações direta > Próteses provisórias > Periodontia cirúrgica relacionada à prótese > Próteses definitivas;

  • Os recursos: considere os materiais que você tem disponível, suas habilidades, além dos recursos financeiro e de tempo do paciente;

  • Os responsáveis: quais profissionais serão necessários naquele tratamento.

Durante o processo, montar um odontograma pode ajudar muito na organização.

Deixar o paciente ciente

O próximo passo é apresentar o planejamento e plano odontológico para o paciente. Afinal, é muito importante que ele esteja ciente de quais serão as etapas e qual será a duração do tratamento.

O processo é importante, inclusive, para garantir a fidelização do paciente e aumentar o faturamento do seu consultório. Isso porque ele terá mais confiança no seu trabalho e fechará um número muito maior de procedimentos.

Reavaliação

Em alguns casos, pode ser necessária a reavaliação do plano odontológico. Por mais que não seja o ideal, pode acontecer. 

Então, esteja preparado para lidar com possíveis imprevistos durante o tratamento e, se for necessário alguma alteração, sempre mantenha o paciente informado.

Monte o seu plano odontológico com a ajuda do Simples Agenda

O Simples Agenda é o software odontológico certo para o seu consultório. Além de gestão empresarial e financeira completa, o sistema conta com recurso de ficha anamnese online.

Por meio da ferramenta, é possível criar e editar modelos de anamnese em poucos minutos, simplificando a sua coleta de informações e aumentando a sua eficiência na hora de montar um planejamento odontológico. 

Como resultado, todas as informações dos seus pacientes passam a ser centralizadas dentro de um único sistema - desde o cadastro e exames, até o controle de pagamentos.

Tudo online, seguro e fácil de usar. Incrível, né?!

Acesse o link para conhecer mais sobre a ficha anamnese do Simples Agenda ou faça já seu teste gratuito por 35 dias, sem compromisso!