Simples Agenda Blog para pequenas empresas

Ficha anamnese estética: descubra a sua importância e como fazer

GESTÃO EMPRESARIAL

Gabriela Vitória Redatora Freelancer
14 min leitura 25/06/2020

Trabalhar com estética é receber um grande sorriso do cliente após cada atendimento. Mas, antes disso acontecer é preciso que a sua clínica cumpra três requisitos importantes: tenha profissionais experientes, uma gestão eficiente e uma boa ficha anamnese.

Para ter sucesso, a experiência do cliente precisa ser o seu principal objetivo. Contratar bons profissionais, evidentemente, proporciona procedimentos mais assertivos. Mas, não se esqueça: o cliente avalia a experiência como um todo. 

Ele precisa se sentir seguro e acolhido. Por isso, desde o agendamento do procedimento a sua empresa está sendo avaliada. Uma gestão bem feita proporciona horários marcados de forma organizada, agilidade na hora de realizar o pagamento, entre vários outros aspectos. 

Além disso, o consumidor quer e precisa ser ouvido. E é aí que entra a ficha anamnese. Entender o que ele busca, proporcionar segurança e definir o procedimento adequado é essencial para garantir a satisfação do consumidor.

Se você deseja melhorar a gestão da sua clínica e quer entender como a ficha anamnese estética pode te ajudar e como fazê-la, este texto é para você!

O que é a ficha de anamnese de estética?


Resumidamente, a ficha anamnese funciona como uma entrevista com o cliente. O objetivo é obter informações essenciais sobre ele relacionadas à sua saúde, seus hábitos e o seu objetivo com o procedimento estético. Com a ficha completa, é possível propor o melhor tratamento e aumentar as chances de sucesso.


A ficha anamnese estética representa um comprometimento com a saúde e satisfação do seu cliente. Por isso, essa leva em conta diversos aspectos específicos de cada paciente, como tipo de pele, área a ser tratada, objetivo e expectativa.


Além disso, informações relacionadas a saúde e hábitos também fazem parte do processo. Por exemplo, se o cliente possui alguma alergia, se é fumante, se já teve precedentes ou se já realizou algum procedimento semelhante. 


Mas, toda ficha anamnese é feita da mesma maneira? Não! Existem dois tipos, acompanhe:

Anamnese livre

Nesse formato, o profissional realiza uma conversa com o cliente visando colher informações, mas sem um questionário como base. Durante a conversa, o cliente relata algumas informações e o esteticista anota para avaliar depois. 


A grande problema é o risco de que algum dado importante seja esquecido, o que pode colocar em risco o paciente e o resultado do tratamento. 

Anamnese dirigida

Já a anamnese dirigida funciona como um roteiro. As perguntas já foram formuladas e são direcionadas ao cliente. Esse processo reduz a chance de que alguma informação seja esquecida ou passe despercebida. 


Não é atoa que a anamnese dirigida é o método mais utilizado pelos profissionais da área. 

Para que serve ficha de anamnese na estética? E qual a sua importância?


A ficha anamnese é usada para que o objetivo do cliente seja alcançado através do procedimento adequado. O preenchimento da ficha deve ser o primeiro passo realizado antes de qualquer tratamento.


Isso acontece já que é necessário ter certeza se aquele procedimento é o adequado para aquele cliente. A ficha anamnese também é usada para entender melhor o paciente da sua clínica, assim, fica mais fácil cumprir as expectativas criadas por ele em relação ao procedimento. 


E qual a importância em fazer uma ficha de anamnese de estética? Além de realizar um bom procedimento, é importante passar confiança para o cliente. Ao realizar uma ficha anamnese, ele entende que está em uma clínica de estética que se preocupa com o seu bem estar. 


Mas, as vantagens não param por aí. Conheça outros motivos para utilizar a ficha anamnese:


  • Melhorar o relacionamento com o cliente;
  • Atendimento personalizado;
  • Maior segurança;
  • Satisfação do paciente.

Além disso, não realizar o acompanhamento através da ficha pode comprometer a saúde do paciente caso ele tenha alguma alergia, por exemplo. 


Outro ponto, é a dificuldade de acompanhamento. Parece impossível lembrar de todos os dados e do caso do paciente meses depois que o procedimento foi realizado. Por isso, ter todas as informações registradas é indispensável para um acompanhamento efetivo


Como fazer uma ficha anamnese estética? Siga ao passo a passo


Agora que já entendemos a importância da ficha anamnese para estética, que tal colocar em prática? Separamos um passo a passo para que você monte a sua ficha. Siga a leitura:

  1. Colete informações básicas sobre o cliente

Identifique quem ele é: nome, endereço, idade, sexo, telefone, profissão, entre outros dados essenciais. Além de, claro, entender o que ele deseja e quais são as suas expectativas. 


Uma boa dica é aproveitar para descobrir de onde estão vindo seus clientes: pergunte ao consumidor como ele conheceu a clínica. É interessante que o cliente preencha essas informações ainda na recepção para que no momento da conversa você possa ser mais objetivo. 

  1. Seja claro e passe confiança

Antes de começar, explique ao paciente a importância da ficha e da veracidade das informações para que tudo dê certo durante o tratamento. Aproveite o momento para criar um relacionamento de confiança. Deixe o paciente à vontade começando com uma conversa casual e em seguida inicie a coleta das informações no próximo passo. 

  1. Conheça mais sobre o paciente

Esse é o momento de saber mais sobre os hábitos diários do seu paciente. Algumas ações, vícios e consumos podem influenciar no procedimento, por exemplo, uso de bebida alcoólica e o hábito de fumar - esses dois influenciam diretamente na saúde da pele. 


Descubra também quais foram os últimos procedimentos realizados por esse paciente, se ele já teve alguma complicação ou alergia. Além disso, busque entender quais são os cuidados que esse paciente realiza com a pele, como uso de protetor solar ou se o cliente fica muito exposto ao sol. 

  1. Organize as informações e faça as devidas conclusões

É essencial organizar todas essas informações coletadas. De nada adianta apenas responder perguntas se você não usá-las da maneira correta. Com base na ficha anamnese, fique atento a chance de ocorrer alguma contraindicação e selecione os produtos que serão utilizados.

  1. Inspecione a pele do paciente

Agora que você já tem uma base de dados completa desse paciente, chegou o hora de avaliar a pele. Através de uma inspeção visual, verifique qual é a condição da pele: se há manchas, estrias, pintas ou qualquer outra anotação necessária. 


Uma boa dica é, com a permissão do paciente, realizar o registro fotográfico da pele. Assim, é possível realizar o acompanhamento e o ?antes e depois?. Pronto! Agora, você tem condição de definir qual o procedimento adequado de forma segura.


Como a tecnologia pode ajudar?


Assim como em diversos outros aspectos da nossa rotina em que a tecnologia é capaz de simplificar processos, a ficha anamnese também pode ser otimizada. Um software para clínica de estética é uma boa solução para criar fichas completas e organizadas, facilitando a visualização das informações e a tomada de decisões.


Além disso, ter uma boa gestão também impacta diretamente nos resultados da clínica e no relacionamento com o cliente. É importante que o esteticista dedique a maior parte do seu tempo para o que realmente importa: o cliente. Para isso, a gestão precisa ser automatizada e simplificada. 


Se você quer otimizar seu tempo e melhorar sua ficha anamnese, leia também 4 motivos para utilizar um software para clínica de estética e entenda como essa ferramenta pode ajudar a sua clínica.