Simples Agenda Blog para pequenas empresas

A importância da educação financeira

FINANCEIRO

Gabriela Vitória Redatora Freelancer
14 min leitura 30/09/2020

Tão importante quanto ganhar dinheiro é saber como administrá-lo. Lidar com os recursos financeiros não é uma tarefa simples e necessita de planejamento.

A alta taxa de endividamento dos brasileiros e a quebra de diversas empresas por uma má gestão de recursos reforça a importância de saber gerir o patrimônio financeiro. 

Sem dúvidas, a falta de planejamento é uma das principais causas de endividamento e é um problema estrutural para muitos brasileiros. 

Nesse panorama, a educação financeira é uma ferramenta essencial para que as pessoas saibam como administrar as finanças de forma estratégica e consciente.

Entenda o que é a educação financeira, qual a importância dessa ferramenta e descubra dicas para melhorar a gestão das finanças. Vamos lá?!

O que é educação financeira?

A educação financeira consiste em adquirir aprendizados para lidar com o dinheiro de uma forma mais responsável. Portanto, é fundamental para melhorar o controle dos gastos e diminuir consideravelmente as despesas.

Outro aspecto importante da educação financeira é que essa ensina as melhores formas de investir dinheiro. Sendo assim, de maneira geral, possibilita que as pessoas tenham uma melhor relação com as finanças.

No âmbito empresarial, a educação financeira é vital. Afinal, erros de gestão podem ser fatais para uma empresa, ainda mais em seus primeiros anos. Por isso, é importante adquirir conhecimentos e ferramentas de gestão que proporcionam um crescimento empresarial e a manutenção do empreendimento.

Além disso, o impacto das finanças pessoais pode ser um fator que deponha contra o desempenho dos colaboradores. Logo, a educação financeira deve ser um fator considerado pela cultura organizacional.

Os benefícios da educação financeira

A educação financeira é indispensável para todas as pessoas e também no âmbito empresarial. No mercado, caracteriza-se como um diferencial competitivo notório. Conheça, agora, algumas vantagens proporcionadas pela educação financeira. 

Menos estresse e mais qualidade de vida

Para início de conversa, a educação financeira evita despesas não planejadas. Ter educação financeira possibilita maior controle acerca dos gastos e evita que a pessoa se depare com despesas inesperadas.

Sem falar que evita estresse e melhora a qualidade de vida, uma vez que as pendências financeiras podem ser uma grande dor de cabeça e prejudicar o desempenho pessoal.

Assertividade na tomada de decisões

No que concerne às organizações, o controle das finanças permitirá um melhor cumprimento das metas e tomadas de decisões mais assertivas. Afinal, nada pior para uma empresa do que ficar endividada todo o mês.

Além disso, um melhor controle das finanças é bastante positivo para os gestores, afinal, ele passa a ter melhor controle do negócio e a enxergar melhor as oportunidades e as ameaças.

Melhor gestão dos recursos

A empresa passa a aproveitar melhor o orçamento e pode realizar investimentos para alavancar os negócios e conquistar os objetivos.

Quitar as pendências é outro fator imprescindível para quem aprende a ter educação financeira. O conhecimento proporcionado por tal educação permite se livrar das dívidas e passar a gastar de forma consciente, um recomeço.

Planejamento em longo prazo

Quem não tem controle do próprio orçamento não consegue planejar. A pessoa endividada fica presa em um círculo vicioso de tentar se livrar das dívidas. A educação financeira, por sua vez, permite fazer planejamentos para o futuro e até mesmo ter uma aposentadoria satisfatória.

Uma boa dica é contar com o suporte de profissionais qualificados para aprender a lidar melhor com as finanças.

6 passos para melhorar a gestão financeira

Como vimos, a gestão financeira tem um importante papel na vida pessoal e na saúde do empreendimento. Sendo assim, é preciso buscar caminhos e ferramentas para melhorar o conhecimento financeiro e otimizar a gestão dos recursos. Conheça agora 6 dicas incríveis para melhorar a gestão financeira.

  1. Busque conhecimento

O primeiro passo é buscar conhecimento. Uma boa dica é procurar por livros de profissionais de finanças, buscar informações em blogs e sites na internet, além disso, é sempre bom contar com a ajuda de especialistas. 


Pensando nisso e entendendo a importância da educação financeira, algumas plataformas já oferecem cursos gratuitos voltados para as áreas de finanças e economia. Os conteúdos são oferecidos no formato EAD, Ensino à Distância. 


A plataforma GINEAD, por exemplo, é uma delas e tem se destacado. Além de oferecer cursos de qualidades, os materiais acompanham certificados por isso, podem ser usados como qualificação profissional.

  1. Reserve um tempo para as finanças

A base de tudo é a organização. Frequentemente, separe um tempo da sua rotina para planejar e ordenar as finanças pessoais e empresariais. O acompanhamento constante evita gastos desnecessário e gera uma maior responsabilidade frente às finanças.


Além disso, no caso de empresas, o acompanhamento é importante para prevenir erros no caixa, identificar falhas financeiras e planejar investimentos em expansão. Para o controle assertivo é válido utilizar ferramentas que otimizem o tempo e a precisão dos dados. 

  1. Registre todas as movimentações financeiras

Para conseguir fazer o acompanhamento correto é preciso registrar todas as movimentações financeiras. Esse processo é importante para identificação de gastos excessivos, além disso, é possível identificar despesas que podem ser substituídas ou eliminadas. 


Avalie também se o valor gasto tem sido menor que o recebido. Somente assim será possível construir uma poupança para objetivos ou reserva de emergência.

  1. Quite suas pendências

O pagamento das dívidas deve ser a sua prioridade. O acúmulo de prestações ou atraso das parcelas pode se tornar uma bola de neve. No caso de pagamento mínimo das parcelas ou atraso, os juros aplicados são compostos, aumentando consideravelmente o endividamento.


Portanto, é preciso se organizar para quitar as pendências e depois procurar uma melhor forma para investir o dinheiro. Se necessário, negocie com o credor, objetivando sempre buscar medidas para pagamento dos compromissos.

  1. Crie hábitos econômicos

Uma boa gestão financeira não é construída do dia para noite. É preciso criar hábitos, ainda mais se você é acostumado com gastos excessivos. Por isso, sempre reavalie seus costumes, pense bem antes de uma compra e evite gastos por impulso.


Crie o hábito de juntar dinheiro, poupando todos os meses. Se preciso, deixe o dinheiro em uma conta que você não usa com frequência, assim, você não lembrará do dinheiro sempre. Use o cartão de crédito com responsabilidade, isso evitará de entrar no vermelho. Os benefícios maiores serão vistos a longo prazo. 

  1. Utilize ferramentas de gestão 

Uma dica preciosa para melhorar a gestão financeira é fazer uso de ferramentas que otimizem e simplifiquem o controle. 


Para o uso pessoal, existem diversos aplicativos gratuitos que podem ser integrados com a conta bancária do usuário. Dessa forma, os gastos e recebimentos são registrados automaticamente no aplicativo. Os apps também geram gráficos e relatórios que ajudam a melhorar o controle financeiro. 


Já para empresas, é recomendado fazer uso de um software de gestão financeira. Esse tipo de sistema é importante para melhor gestão empresarial, redução de falhas e controle do fluxo de caixa. Saiba mais sobre o que é um software de controle financeiro

Conclusão

Como vimos até aqui, a educação financeira pode promover o seu crescimento, assim como, o desenvolvimento da sua empresa. É preciso mais do que economizar, é preciso saber gastar. A partir de hoje, não deixe de se organizar financeiramente. 


Gostou da leitura? Acompanhe mais conteúdos sobre finanças no blog do Simples Agenda.