Simples Agenda Blog para pequenas empresas

Como motivar os colaboradores? Confira 10 dicas incríveis

GESTÃO EMPRESARIAL

Gabriela Vitória Redatora Freelancer
20 min leitura 26/11/2020

Motivar colaboradores é uma arte, mas nem todos a dominam. É essencial manter a motivação das equipes, caso contrário, os problemas começam a surgir, como turnover, baixa produtividade, redução da qualidade nas entregas, entre outros.

Isso porque uma empresa com colaboradores desmotivados é como uma empresa doente que, aos poucos, perde força e tem dificuldades para se manter. A boa notícia é que com algumas práticas é possível reverter esse cenário. 

É para te ajudar com isso que fizemos esse post. Listamos 10 dicas incríveis para motivar os colaboradores da sua organização! Confira:

Como motivar os colaboradores? Confira as 10 dicas:

  1. Invista na capacitação da equipe

Nenhum profissional quer ficar estagnado na carreira. Para que um colaborador possa ocupar outras posições e crescer, é preciso capacitação. Nesse sentido, contar com uma universidade corporativa pode ser um diferencial dentro da sua empresa.

Uma UC não só promove o crescimento profissional, como ajuda a engajar os colaboradores por meio do conhecimento. Além disso, à medida que um profissional se torna mais qualificado, surgem mais oportunidades de crescimento.

  1. Dê feedbacks

Dar feedback nem sempre é fácil, mas é necessário para o crescimento dos profissionais. Falta de feedbacks - tanto positivos quanto negativos - desmotivam qualquer colaborador, pois ele nunca se sentirá reconhecido quando fizer um bom trabalho e também não saberá os pontos negativos que precisa melhorar.

Por isso, nunca esqueça de elogiar as boas entregas, atitudes e iniciativas, assim como, chamar atenção para as entregas, atitudes e iniciativas ruins. Faça isso sempre com respeito e empatia. Afinal, feedbacks desrespeitosos podem ter o efeito contrário e acabar desmotivando o profissional.

Também é interessante que o gestor tenha conversas periódicas pessoalmente com cada membro da equipe. Trata-se de uma reunião para bater um papo sobre carreira, entender as expectativas do profissional, dar e receber feedbacks, entre outros pontos.

Essas conversas não tomam muito tempo e podem evitar muitos problemas de comunicação entre os gestores e suas equipes. Adotar essa prática como parte da rotina do time gera segurança psicológica para os colaboradores. 

Isso faz com que eles se sintam parte do grupo onde estão inseridos e consigam visualizar melhor o caminho a trilhar para alcançar seus objetivos. Lembre-se que também é fundamental que os líderes estejam preparados para dar feedback.

  1. Garanta o work-life balance

Há muito tempo, passar o dia trabalhando era motivo para se vangloriar para os amigos. Só que, hoje em dia, as pessoas têm consciência de que isso não é um hábito saudável. O novo profissional quer conciliar o trabalho com a vida pessoal, e cabe à empresa ser flexível o suficiente para que isso aconteça.

Horários flexíveis, por exemplo, permitem ao colaborador trabalhar a quantidade de horas contratadas sem a necessidade de chegar exatamente às 8h e sair às 17h, por exemplo. É claro que isso não se aplica a todos os setores. Profissionais de vendas, por exemplo, geralmente trabalham em horário comercial. Mas, em setores nos quais o horário é irrelevante, se torna mais fácil organizar o horário dos membros das equipes.

A possibilidade de fazer home office também é um benefício valorizado pela maioria das pessoas. Empresas que deixam os colaboradores escolherem seu modelo de trabalho são desejadas pelos profissionais.

Outro bom exemplo adotado por muitas empresas é a short friday. Nesse modelo, os colaboradores podem sair mais cedo na sexta-feira, pois compensam algumas horas da sexta-feira ao longo da semana.

Muitas empresas também têm adotado o modelo híbrido, no qual o colaborador pode gerenciar a própria carga horária, escolhendo quando vai trabalhar de casa ou o horário em que vai trabalhar cada dia. Essa opção influencia o nível de satisfação dos colaboradores, além de melhorar a produtividade e qualidade do trabalho.

  1. Dê autonomia

Muitas empresas ainda estão apegadas a modelos de gestão extremamente rígidos. O chefe micro gerencia cada passo dos colaboradores, cada uma das atividades, não aceita ideias e sugestões e a equipe é incapaz de trabalhar sem a presença dele.

O problema é que, hoje em dia, os novos profissionais buscam modelos de gestão mais horizontais, com líderes mais próximos e uma hierarquia menos rígida. Isso é benéfico para o colaborador, que se sente mais livre para realizar seu trabalho da forma como preferir, e para a empresa, que pode se beneficiar com a criatividade da equipe, e para o gestor, que fica menos sobrecarregado.

É ideal preparar as equipes para que estejam prontas para fazer seu trabalho e tomar decisões sem depender do líder. Isso traz agilidade para os processos, promove inovações e possibilita  que os líderes atuem de forma mais estratégica.

Para que os colaboradores possam desenvolver autonomia, é fundamental ter um programa de treinamento e desenvolvimento, para que todos sejam devidamente capacitados para realizar um bom trabalho sem a necessidade de supervisão constante.

  1. Estabeleça metas atingíveis

Metas são uma excelente forma de motivar as equipes, pois elas deixam claro qual o resultado esperado do trabalho de cada grupo ou pessoa.

Entretanto, é importante que as metas sejam revisadas frequentemente, para que seja possível saber o momento em que uma meta deixa de ser motivadora e passa a ser justamente o oposto, por ser inatingível. O contrário também é um problema, quando uma meta está muito fácil de atingir.

Além de estabelecer metas realistas e desafiadoras, você pode tornar tudo mais divertido ao colocar prêmios para motivar. Assim, se o time conseguir bater a meta, todos serão premiados.

Não precisa ser nada muito mirabolante: você pode premiar um time com bonificação salarial, claro, mas também pode usar a criatividade e dar uma noite na pizzaria, por exemplo, que tal?

  1. Invista em um bom clima organizacional

O clima organizacional é a percepção que os colaboradores têm em trabalhar na empresa, incluindo sentimentos, desejos etc., e como isso se reflete no ambiente de trabalho. A melhor forma de avaliar o clima de uma empresa é realizando uma pesquisa de clima. Caso você não consiga fazer uma pesquisa de clima, acompanhe o índice de turnover. Se ele estiver alto, é um forte indício de que existem problemas.

A pesquisa de clima proporciona uma análise do ambiente na organização; padrões comportamentais, problemas de convivência, conflitos e pontos a melhorar.

Não deixe de fazer pesquisas de clima na sua organização. Empresas que possuem um clima ruim dificilmente conseguem motivar os colaboradores, além de terem problemas como turnover e baixa produtividade.

Você pode começar com algo bem simples, sem muitas perguntas. A pesquisa permite que você busque na fonte quais são as razões de desconforto e insatisfação. Isso dá subsídio para  buscar formas de melhorar o clima

Uma dica importante: a avaliação do clima deve ser feita frequentemente, e as ações de melhoria devem fazer parte do dia a dia da empresa. Ah! E lembre-se de que as ações que melhoram o clima hoje, podem deixar de ter relevância na satisfação dos colaboradores amanhã, pois os desejos e anseios mudam. Então, é uma constante evolução.

  1. Invista na automação da rotina

A automação da rotina também tem um papel importante na motivação dos colaboradores. Afinal, tarefas repetitivas e burocráticas acarretam em um trabalho tedioso e estressante. Como resultado, há uma queda na produtividade e na satisfação dos funcionários. 

A boa notícia é que já existem excelentes softwares de automação para diferentes setores. Por exemplo, CRM para automação das vendas e ERP para automação da gestão empresarial. Por meio desses sistemas é possível otimizar o tempo e motivar os colaboradores.

O software de gestão empresarial (ERP), por exemplo, proporciona a gestão de toda a empresa em um único lugar. Funcionalidades como controle financeiro, fluxo de caixa, controle de estoque, vendas, emissão de boletos e relatórios gerenciais são exemplos do que ele é capaz de fazer.

Mas, como isso auxilia na motivação dos funcionários? 

Imagine só: uma das funcionalidades desses tipo de sistema é a emissão de notas fiscais. Esse processo pode ser vagaroso quando realizado pelo site da prefeitura, mas dentro de um ERP, a emissão ocorre com poucos cliques. Dessa forma, os processos passam a ser mais ágeis, o colaborador fica menos estressado e tem tempo para se dedicar em outras tarefas.

  1. Ofereça um ambiente de trabalho agradável

O ambiente de trabalho influencia totalmente na motivação, na produtividade e na qualidade do trabalho. Por isso, invista em um ambiente de trabalho confortável e que estimule a criatividade.

Hoje em dia, isso é uma tendência. Cada vez mais empresas possuem salas coloridas, pufes para sentar, tênis de mesa, sinuca, televisão com Netflix etc. O Google oferece até academia a disposição para os colaboradores. Quem é que não vai gostar?

  1. Ofereça remuneração justa

Hoje em dia, sabe-se que a remuneração, por si só, não serve para motivar os colaboradores. Entretanto, isso não significa que ela não seja um dos fatores motivacionais. Basta utilizá-la em conjunto com os outros.

Algumas empresas caem no erro de investir nos pontos anteriores, mas não oferecem remuneração justa conforme o mercado. No fim das contas, os bons profissionais não trabalham muito tempo em empresas nas quais o salário está abaixo do seu valor como profissional.

Isso atrapalha a atração e a retenção de talentos. Com salários muito baixos, é mais provável que você atraia mão de obra desqualificada. Por isso, além de investir nos pontos anteriormente citados, ofereça salários adequados.

  1. Ofereça oportunidade de crescimento

Pode ser muito difícil se manter engajado em uma empresa na qual não há nenhuma oportunidade de crescimento. Por isso, muitas organizações traçam planos de carreira baseados nos seguintes pontos:

  •  Resultados que cada colaborador atingiu;

  • Tempo de empresa;

  • Metas batidas;

  • Iniciativas de sucesso;

  •  Entre outros.

Dessa forma, é importante que o gestor acompanhe os resultados de cada membro da equipe, para identificar os destaques e oferecer oportunidades de forma justa.

O gestor também precisa ter um olhar apurado para saber quais cargos são adequados ao perfil de cada profissional. Caso contrário, um colaborador pode ser promovido para um cargo que não tem muito a ver com ele, o que vai gerar problemas mais à frente.

Para te ajudar a estruturar isso tudo, criamos um Canvas de Plano de Desenvolvimento Individual (PDI). O PDI é uma ferramenta poderosa para alinhar os objetivos estratégicos da empresa aos objetivos profissionais dos colaboradores.

Nosso Canvas ajuda a colocar em ordem informações relevantes, como o histórico do colaborador, visão, competências e cronograma. E o melhor: ele é totalmente gratuito! Faça já o download do Canvas de PDI!

------

Este texto foi escrito por Andreia da Silva Justo, consultora em ERP pela UDESC e pós-graduada em Engenharia de Software pela PUC, possui os títulos de PMP (Project Management Professional) pelo PMI e CBPP pela ABPMP. Com mais de 25 anos de experiência em gestão de projetos, é uma grande entusiasta da tecnologia e acredita na inovação como facilitadora dos processos de desenvolvimento de pessoas. Atualmente é CEO do Twygo.