Simples Agenda Blog para pequenas empresas

5 dicas de como fazer uma boa anamnese

EMPREENDEDORISMO

14 min leitura 11/12/2020

A ficha anamnese tem um importante papel na segurança e satisfação do paciente. Ela auxilia na identificação do indivíduo, no seu diagnóstico, na escolha do melhor tratamento e na prevenção de problemas futuros.

Como resultado, é claro que a ficha anamnese é peça-chave no sucesso da clínica, uma vez que, sem ela, o tratamento pode ser comprometido. Essa ferramenta poderosa pode ser usada por todos os profissionais que precisam conhecer mais sobre o paciente. 

Continue a leitura e descubra como fazer uma boa anamnese. Vamos lá?!

A importância de uma anamnese bem feita 

Uma anamnese bem feita permite que o profissional conheça hábitos e aspectos importantes sobre a vida do paciente. Esses fatores podem influenciar no diagnóstico e tratamento. Por isso, a ficha anamnese pode ser entendida como uma ferramenta complementar aos exames físicos e laboratoriais.

Por exemplo, por meio da ficha anamnese é possível identificar se o paciente é fumante, se faz consumo de bebidas alcoólicas ou se tem alguma alergia. Todas essas variáveis podem influenciar nos próximos passos a serem tomados pelo profissional.

Como resultado, sem a ficha anamnese o paciente pode ser colocado em risco ou o resultado do atendimento pode não ser satisfatório. Portanto, entendendo a importância de uma anamnese ela deve ser realizada em todas as áreas da saúde, seja por médicos, clínicas de estética, odontológica, psiquiátrica, entre outros.

Dicas de como construir uma boa ficha anamnese

A anamnese é construída por meio de perguntas realizadas ao paciente. Com isso o profissional tem o registro de todo o caso clínico, hábitos e histórico familiar. Mas, afinal, como fazer uma boa anamnese? Acompanhe.

  1. Reúna informações básicas 

Para começar, reúna informações básicas, como nome e dados pessoais. Em seguida, descubra qual é a queixa principal do paciente, o que levou até ali. Dependendo do seu ramo de atuação, a motivação pode ser estética ou relacionada a alguma dor ou desconforto. 

O próximo passo é descobrir mais sobre a rotina e possíveis doenças familiares, afinal, muitas doenças são hereditárias. Observe também a classe social na qual esse paciente está inserido e descubra se há histórico de outras patologias. 

Caso a sua clínica já faça uso de um sistema para registro de anamnese é válido avaliar os registros dos outros atendimentos realizados. Por fim, observe o comportamento e as ações do paciente para ter uma anamnese bem feita.

  1. Faça uma avaliação clínica

Para fazer uma boa anamnese é preciso checar também os sinais clínicos do seu paciente. Para isso, você deve aferir a pressão arterial, verificar se o paciente está hidratado, observar a temperatura do corpo, a saturação de oxigênio e, se necessário, medir a glicemia.

Também faça um exame clínico e veja se o paciente sente alguma dor ou incômodo em alguma parte do corpo. Isso porque muitas vezes os pacientes podem se esquecer de algo ou achar que um detalhe é irrelevante. Assim, dificultar a identificação da enfermidade.

Portanto, nesse momento, pergunte sobre as principais áreas do corpo do paciente, como o funcionamento da mente, ou seja, como está a memória ou o humor. Também investigue a audição, visão, problemas digestivos, respiratórios e intestinais. No caso de clínicas estéticas, principalmente, faça uma inspeção visual para verificar as condições da pele do paciente.

  1. Explique tudo para o seu paciente

A ficha anamnese normalmente leva um bom tempo da consulta. São diversas perguntas realizadas para o paciente de forma rápida e direta. Contudo, é comum que o paciente fique ansioso e curioso quanto a resolução de tudo que foi conversado.

Por isso, depois que terminar o preenchimento das informações é importante explicar a importância da ficha anamnese, mostrando como ela é essencial para identificar corretamente a enfermidade e escolher um tratamento médico mais adequado. Bem como a sinceridade das respostas do paciente pode interferir no diagnóstico.

No fim da conversa, lembre-se de agradecê-lo por compartilhar as informações com você. Afinal, ele poderia ter se recusado a responder tantas perguntas, não é? Sem contar que com isso é possível criar uma maior conexão e confiança entre profissional-paciente, facilitando o tratamento.

  1. Construa um diagnóstico e compartilhe-o com o paciente

Com todos os dados em mãos sobre o paciente, é hora de construir um diagnóstico sem pressa. Para tanto, cruze as informações sobre o histórico do paciente, as queixas e os exames clínicos. Então, escolha entre solicitar exames complementares para chegar a uma conclusão mais precisa ou começar um tratamento.

Se for necessário realizar exames complementares encaminhe o paciente sobre os melhores locais para realizá-los, ressaltando a necessidade de retornar ao consultório para começar o tratamento o mais rápido possível. Em qualquer situação, não deixe o paciente sair com dúvidas e responda o que o paciente quer ouvir.

Todo diagnóstico ou solicitação de exames complementares deve ser anotado na ficha anamnese para ser consultado sempre que for necessário. Bem como suas informações devem estar facilmente disponíveis para consulta. 

  1. Utilize um software de gestão para clínica

Como vimos, montar a ficha anamnese é um dos momentos mais importantes no atendimento ao paciente. E saber como fazer uma boa anamnese fará toda diferença no diagnóstico e no sucesso do tratamento. 

Entendendo sua importância, os profissionais da saúde e estética buscam alternativas para deixar a anamnese mais assertiva e disponível para consulta. Para isso, um software de gestão para clínica substitui as fichas impressas de pacientes por uma anamnese online. 

Dessa forma, os dados dos pacientes e o histórico de consultas anteriores são armazenados em nuvem e podem ser acessados a qualquer momento. Além disso, esse tipo de sistema disponibiliza um modelo de anamnese, o que otimiza o processo e evita esquecimentos.

E tem mais: alguns softwares de gestão também contam com agenda online. Por meio desse recurso, os pacientes podem marcar um horário direto pela internet. O sistema também envia lembretes via SMS, e-mail ou WhatsApp automaticamente para os pacientes não se esquecerem das consultas agendadas.

Dentre os melhores softwares do mercado, o Simples Agenda tem se destacado. A ficha anamnese do sistema é intuitiva, prática e completa, otimizando o tempo da consulta. Conheça mais sobre a ficha anamnese do Simples Agenda ou teste grátis por 35 dias e descubra tudo que esse sistema pode fazer pela sua empresa. 

E aí, preparado para fazer uma boa anamnese?

Sem dúvidas, a ficha anamnese é essencial para o bom desempenho do trabalho de qualquer profissional da saúde e da estética. Isso porque é a forma rápida do profissional conseguir as informações sobre o seu paciente, bem como, obter os dados essenciais para um diagnóstico mais preciso.

Por isso, siga as dicas que reunimos acima: conheça mais sobre o paciente, cheque sinais clínicos, seja claro, desenvolva um diagnóstico com cautela e, claro, utilize um software para montar a sua anamnese. 

Continue acompanhando mais dicas para profissionais da saúde e estética, aqui no blog do Simples Agenda!