Simples Agenda Blog para pequenas empresas

Como separar despesas pessoais das contas da empresa? Entenda aqui!

FINANCEIRO

Redator Simples Agenda
15 min leitura 13/05/2021

Um dos principais desafios para quem tem o próprio negócio é saber como separar as despesas pessoais das contas da empresa. Por mais que esse seja um conceito muito falado, você sabe como separar as contas?!


Atualmente, o descontrole das finanças é um dos maiores motivos para o fechamento de empresas no Brasil. Por aqui, mais de 60% dos empreendimentos fecham as portas antes de completarem cinco anos de existência. 


Afinal, é praticamente impossível fazer um empreendimento crescer (ou mesmo mantê-lo) sem o controle assíduo das contas.


No entanto, segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo SPC, 36% dos brasileiros não realizam o controle das finanças pessoais. E quando isso se mistura com as contas da empresa, a situação fica ainda pior.


Mas, afinal, como separar despesas pessoais das contas da empresa? E porque isso é tão importante? Bom, é sobre isso que falaremos hoje!

Porque é importante separar as despesas pessoais das contas da empresa?

Uma das maiores dificuldades de quem tem as contas misturadas é analisar corretamente se as finanças vão bem ou não. 


Por exemplo, se a sua empresa terminou o mês com caixa verde isso significa que você gastou pouco com a sua vida pessoal ou que a empresa realmente está indo bem?


Do mesmo modo, se as contas sempre terminam no vermelho: você tem gastado muito ou o seu negócio que precisa aumentar as vendas?


Se você não consegue analisar corretamente suas contas, você não sabe como agir e a vida financeira não evolui. E, uma hora ou outra, vai acabar faltando dinheiro e é esse perigo.


Como resultado, a empresa pode acabar sem reserva financeira para capital de giro ou investimento e corre o risco de se endividar e até falir. 


Outro grande problema é que o empreendedor perde a sua previsibilidade financeira. Ele não sabe quanto vai receber no fim do mês e, portanto, não sabe até quanto pode gastar. Se você tem as contas misturadas, certamente, já se viu muito bem financeiramente em um mês e sem dinheiro em outro. 


A pessoa física por trás da empresa também pode enfrentar problemas com crédito, uma vez que sempre usa o seu próprio dinheiro para lidar com despesas do empreendimento. Mas, afinal, como resolver esse problema? Calma, que a gente te ajuda!

Como separar despesas pessoais das contas da empresa?

As dicas a seguir são úteis tanto para quem tem um negócio próprio quanto para os profissionais autônomos - que são a própria empresa. Vamos lá?!

  1. Faça um estudo sobre as suas finanças

O primeiro passo é avaliar toda a sua vida financeira, tanto da empresa quanto pessoal. 


Comece separando todos os seus gastos pessoais: lazer, alimentação, transporte, moradia...Tudo mesmo. Ah! Vale lembrar que o cartão de crédito não é uma despesa, mas sim um meio de pagamento. Portanto, avalie também quais são os gastos do seu cartão.


Assim, você conseguirá enxergar onde estão seus maiores gastos e cortar algumas despesas exageradas. 


Em seguida defina os gastos empresariais, ou seja, tudo que a sua empresa precisa para se manter. Por exemplo, impostos, gastos com funcionários (se tiver), software de gestão e etc. E não se esqueça do seu próprio salário, ele entrará como uma despesa da empresa. 

Como começar?

A nossa dica é que você faça uma fotografia fiel sobre as suas finanças. Portanto, é fundamental que você utilize dados reais.


Para começar, pegue os dados do seu banco e anote todos os gastos dos últimos 6 meses. Separe tudo que é gasto da empresa do que é gasto pessoal. 


Assim, você será capaz de entender como está a sua situação financeira, quanto você precisa para se manter e qual é o lucro da sua empresa. 


Se não for viável anotar os gastos retroativos, comece a partir de agora a registrar todas as movimentações. Para isso utilize um software de gestão ou planilha em Excel, afinal, é impossível controlar gastos de cabeça. 

  1. Defina o seu salário e dos seus sócios (se tiver)

É muito comum que empreendedores, principalmente no início, olhem para o dinheiro da empresa como um salário. A partir disso, tudo que entra no caixa e não é gasto com a manutenção da empresa, é usado para fins pessoais.


De fato, o dinheiro da empresa será a sua fonte de renda. O problema é fazer retiradas sem controle. 


Por isso, no tópico anterior definimos quanto você precisa para se manter, certo?! Esse será o seu pró-labore (salário). Se a empresa tiver mais lucro do que o esperado, você pode pegar um percentual como bonificação. Do contrário, o salário fixo está garantido. 

Como funciona?

O pró-labore nada mais é do que um salário justo que você pagaria para alguém executar as suas tarefas. Ele deve ser um valor condizente com a realidade da sua empresa e com os seus gastos pessoais. 


Se você perceber que a empresa não tem tido rendimento o suficiente para te pagar o salário necessário, é hora de rever as contas. Nesse caso, busque melhorar o faturamento da empresa ou diminuir seus gastos pessoais. 

  1. Tenha contas bancárias separadas

Outro ponto fundamental sobre como separar despesas pessoais das contas da empresa é ter contas bancárias distintas. Assim, é fácil identificar o que é dinheiro da empresa e o que é seu. 


E isso não precisa ser uma tarefa complicada. Atualmente, muitas instituições bancárias já permitem que, dentro do mesmo aplicativo, você controle a sua conta PJ e a sua conta física.  E o melhor: sem pagar nada mais por isso. 


A partir disso, todo recebimento da sua empresa deve cair na sua conta empresarial, combinado?! Somente depois faça a retirada do seu salário. 

  1. Separe as despesas 

Em alguns momentos pode parecer complicado diferenciar o que é gasto da empresa do que é gasto pessoal. Principalmente, quando existem "gastos compartilhados", como celular, internet, energia elétrica, entre outros. 


Para facilitar o controle você deve registrar todas as movimentações financeiras e fazer uma divisão proporcional dos gastos. 


Por exemplo, supondo que você use o celular tanto para trabalhar quanto para uso pessoal. Se for 50% para empresa e 50% para fim pessoal, divida o pagamento da conta do telefone desta maneira. 


Do mesmo modo, faça essa divisão com as outras despesas. Afinal, não é justo que você pague pelas contas da empresa nem vice-versa.

  1. Acompanhe o fluxo de caixa

Uma das principais regras para separar despesas pessoais das contas da empresa é registrar todas as entradas e saídas, independente do valor. Para isso, deve-se acompanhar de perto o fluxo de caixa


A ferramenta permite o registro de todas as contas a pagar e receber, além de fornecer informações de previsibilidade e relatórios gerenciais. 


Inclusive, muitos empresários têm optado por um software de gestão empresarial completo que, além do recurso de fluxo de caixa, também inclui conciliação bancária, emissão de notas e boletos e muito mais. 


Até porque o empreendedor já tem inúmeras tarefas e obrigações dentro de uma empresa, portanto, é preciso contar com ferramentas que agilizam a rotina.


Tudo isso auxilia na hora de separar despesas pessoais das contas da empresa.

  1. Tenha reservas 

Depois de seguir todas essas dicas sobre como separar despesas pessoais das contas da empresa, ainda é preciso prestar atenção em mais um detalhe: criar reservas.  


Afinal, não adianta separar as contas se, no fim do mês, não sobra dinheiro no caixa da empresa. Você deve estar preparado para enfrentar os possíveis imprevistos e crises que possam aparecer tanto na sua vida pessoal quanto empresarial. 

Preparado para melhorar o seu controle financeiro?

Entendeu como separar despesas pessoais das contas da empresa? Espero que sim!


O Simples Agenda está preparado para te auxiliar a melhorar o controle das suas contas. Entenda mais sobre como funciona um software de controle financeiro e tudo que ele é capaz de fazer! 


Ah! O teste do sistema é gratuito por 35 dias e ainda conta com aplicativo para celular. Incrível, né?!