Simples Agenda Blog para pequenas empresas

5 regras para gestão financeira de uma pequena empresa

FINANCEIRO

Redator Simples Agenda
13 min leitura 17/08/2021

Não é novidade que a gestão financeira é um importante pilar de qualquer empresa, especialmente, das pequenas. Afinal, é por meio do controle das finanças que o empreendedor tem os dados necessários para tomar decisões e criar estratégias.


Além, é claro, de ter dinheiro suficiente para permanecer competitivo no mercado. Do contrário, a empresa corre o risco de falir e entrar para a estatística das diversas pequenas empresas no Brasil que não conseguem sobreviver. 


Segundo Carlos Melles, presidente do SEBRAE, os pequenos negócios têm menor taxa de sobrevivência. Isso porque o pequeno empreendedor, muitas vezes, não está preparado para empreender e abre o negócio por necessidade e não por oportunidade.


Para evitar esse cenário e superar os desafios, o melhor caminho é estudar gestão financeira para pequenas empresas, além de buscar as ferramentas tecnológicas adequadas para simplificar a sua gestão.


Para te ajudar nessa missão, preparamos este conteúdo. Aqui você vai aprender as principais regras para acertar na gestão financeira da sua pequena empresa. Confira!

O que é gestão financeira de uma pequena empresa?

A gestão financeira nada mais é do que um controle rigoroso sobre os recursos da empresa. Ela permite que você entenda como está a saúde do seu empreendimento por meio da análise e do planejamento das finanças. 


Além disso, a gestão financeira é importante para que você tome decisões estratégicas ao analisar os relatórios gerenciais. O controle correto das finanças também garante o pagamento das contas em dia e evita o endividamento empresarial. 


Portanto, na prática, a gestão financeira de uma pequena empresa é sinônimo de eficiência operacional e estabilidade. No entanto, para ter sucesso com a prática é preciso ter uma boa visão de negócio e acertar no uso de ferramentas tecnológicas.

Porque a gestão financeira de uma pequena empresa é tão importante?

Não é novidade que o descontrole financeiro é um dos principais fatores que causa o fechamento de empresas no Brasil, principalmente, das pequenas. 


De acordo com a pesquisa Sobrevivência de Empresas (2020) realizada pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas), três em cada 10 MEIs fecham as portas em até 5 anos de existência no país. 


Entre as pequenas empresas, o MEI é o que tem maior taxa de mortalidade, 29%. Já as microempresas apresentam taxa de falência de 21,6% e as de pequeno porte, 17%.


Independente do porte da empresa, para 22% dos empreendedores entrevistados, a falta de capital de giro foi o principal motivo que levou ao fechamento do negócio.


Para não fazer parte dessa estatística, o melhor caminho é estudar e dominar a gestão financeira de uma pequena empresa. 


A partir daí o caixa deve ser sempre atualizado, a empresa deve ter reservas financeiras e solucionar os gargalos no orçamento. Além disso, é fundamental planejar investimentos, visando o crescimento de longo prazo. Mas, como fazer tudo isso? Continue a leitura!

5 regras para gestão financeira de uma pequena empresa

Até aqui já vimos que a saúde financeira deve ser uma prioridade para manter o seu empreendimento no mercado, certo?! Então, conheça a seguir 5 regras para gestão financeira de uma pequena empresa. 

  1. Defina um pró-labore

O primeiro passo é definir o seu pró-labore, ou seja, o seu salário. Isso mesmo. Um grande erro do pequeno empreendedor é acreditar que todo o lucro da empresa é dele. 


No entanto, deve haver uma distinção clara entre o que é dinheiro do caixa da empresa e o que é dinheiro do empreendedor. Isso porque usar o dinheiro do caixa para pagar contas e despesas pessoais pode prejudicar o orçamento e o capital de giro.


O ideal é definir um salário fixo. Ah! E, mesmo que a empresa lucre mais em um determinado mês, o dono da empresa deve receber somente o seu salário. O restante do valor deve ser guardado como reserva para investimento e imprevistos. 

  1. Não misture a conta empresarial com a conta pessoal

A segunda regra de gestão financeira de uma pequena empresa é nunca misturar a conta empresarial com a conta pessoal. Para isso, além de definir um pró-labore, é preciso separar as contas bancárias, ou seja, uma para pessoa física e outra para pessoa jurídica. 


Isso porque ao misturar as contas o empreendedor pode perder o controle financeiro e a sustentabilidade do empreendimento. Então, nada de gastar o dinheiro da empresa com a desculpa de "depois eu reponho", porque sabemos que isso quase nunca acontece.

  1. Registre o fluxo de caixa

A gestão financeira de uma pequena empresa também depende do registro correto de todas as movimentações financeiras. Portanto, tudo que entra e sai do caixa deve ser registrado - até mesmo valores pequenos.


Isso é importante para que você consiga identificar gastos desnecessários, possa ter previsibilidade de caixa e tenha controle sobre o orçamento. Para registrar todas as sangrias e entradas, use uma planilha em Excel ou um sistema de controle financeiro

  1. Mantenha o capital de giro

O capital de giro é uma estratégia em que a empresa cria reservas financeiras a fim de cobrir imprevistos e viabilizar investimentos. Sem o capital de giro a empresa corre o risco de pagar contas com juros, se endividar e até mesmo de falir. 


Ele é muito usado para cobrir o prazo entre o pagamento das contas e o recebimento dos clientes. Por exemplo, imagine que você vai receber uma grande quantia no dia 20, mas as contas vencem no dia 10. 


O capital de giro pode ser usado para evitar o atraso das contas e permitir a manutenção saudável do empreendimento. 

  1. Tenha metas

Outra regra de gestão financeira de uma pequena empresa é ter objetivos, isto é, saber onde quer chegar. Do contrário, o empreendedor acaba perdido sem saber quais serão os próximos passos para expansão do pequeno negócio. 


Por isso, trace um plano de ação e, sempre que necessário, reveja suas contas para viabilizar o crescimento de curto, médio e longo prazo. Além disso, os relatórios gerenciais podem - e devem - ser usados como fonte de informação.

Como a tecnologia pode te ajudar na gestão financeira?

E se engana quem acredita que a tecnologia empresarial é restrita aos grandes empresários. 


Pelo contrário. O software de gestão é um grande aliado das pequenas empresas. Por isso, atualmente, existem sistemas com variados preços e recursos para atender a esses negócios.


O software de controle financeiro, por exemplo, simplifica a gestão, centraliza as informações e automatiza tarefas repetitivas. Ao utilizar esse tipo de sistema o gestor percebe que é muito mais simples gerenciar uma empresa e tomar decisões.


Dentre os principais recursos desse tipo de sistema, podemos citar: fluxo de caixa, controle de contas a pagar e receber, emissão de notas fiscais, emissão de boletos bancários e muito mais.


Tudo simples, online e automatizado. Quer saber mais?! Então, entenda como funciona um programa de controle financeiro.  


E aí?! Gostou do conteúdo?! Para mais dicas de gestão financeira, continue acompanhando o blog do Simples Agenda.