Simples Agenda Blog para pequenas empresas

Dicas de como preencher odontograma

ODONTOLOGIA

Redator Simples Agenda
16 min leitura 14/09/2021

O odontograma é um grande aliado do cirurgião-dentista na hora de registrar detalhes importantes sobre a saúde bucal do paciente. 


A ferramenta agiliza o preenchimento da ficha anamnese odontológica e simplifica a maneira como as informações são organizadas. Tudo isso é importante para que o profissional ganhe tempo na rotina e melhore o controle do tratamento de cada paciente.


Além disso, o odontograma contribui para que outros profissionais da equipe consigam interpretar as informações registradas. Isso porque existe um padrão para preencher o documento e todos os profissionais devem segui-lo para garantir a eficácia da ferramenta.


No entanto, muitos dentistas ainda têm dúvidas sobre as notações específicas do odontograma e, por isso, preparamos este conteúdo. Aqui você vai entender o que é um odontograma, qual a sua importância e como preenchê-lo corretamente. Vamos lá?!

O que é um odontograma?

O odontograma é uma representação gráfica dos dentes e é usado para registrar a condição bucal do paciente e os tratamentos odontológicos a serem realizados.


No documento são representados todos os dentes da boca, tanto da arcada superior quanto da inferior. Além disso, são representadas as dentições primárias e infantis, o que é especialmente importante para dentistas que trabalham com crianças.


Na prática clínica, o dentista faz o preenchimento do documento depois de realizar a avaliação clínica intraoral e analisar os exames solicitados.


O odontograma preenchido também é conhecido por outros nomes, como diagrama dental, dendrograma, periodontograma e carta dentária. 


Mas, vale mesmo a pena utilizá-lo?! Continue a leitura para descobrir.

Qual a importância do odontograma?

O odontograma é uma ferramenta amplamente utilizada por dentistas, sendo capaz de orientar o profissional antes e durante o tratamento odontológico.


Portanto, ele traz mais segurança para o paciente e simplifica a rotina do cirurgião-dentista. Sempre que necessário os dados podem - e devem - ser atualizados, o que garante que o profissional trabalhe com informações confiáveis.


Esse processo também é importante quando outros profissionais da equipe atendem o paciente.


Além disso, a ferramenta protege o dentista em caso de processos judiciais. Isso porque o odontograma possibilita o registro da qualidade bucal do paciente antes e depois das ações realizadas pelo cirurgião-dentista.


Sendo assim, em caso de questionamentos, o dentista pode usar o documento para explicar a conduta e se resguardar. 


Por fim, o documento ainda pode ser usado como fonte de informação no reconhecimento de corpos, uma vez que detalhes específicos da arcada dentária podem distinguir pessoas.

Quais são os tipos de odontograma?

Existem dois tipos de odontograma principais, sendo eles:

Geométrico

Nesse tipo de odontograma os dentes são representados por formas geométricas. O mais comum é que a representação ocorra em formato de quadrado ou círculo.

Anatômico

Como o próprio nome sugere, no odontograma anatômico cada dente é representado da maneira como ele é, ou seja, o documento traz o real formato anatômico do dente.

O que não pode faltar no odontograma?

O odontograma deve evidenciar a qualidade bucal daquele paciente, por exemplo, anormalidade, cáries e fraturas, e os dentes que precisam de tratamento. 


Também deve registrar o histórico de procedimentos odontológicos, como operações e tratamentos anteriores, e ainda os procedimentos a serem realizados.


Vale lembrar que o odontograma é um documento que pode ser usado por toda a vida do paciente, portanto, ele deve mostrar os resultados dos procedimentos que você realizou.


Por fim, também devem ser registrados os detalhes técnicos, por exemplo, os materiais utilizados nas restaurações.

Como preencher um odontograma?

Para que todo o dentista consiga interpretar qualquer odontograma completo, há um padrão de preenchimento desse documento. 


Para deixar o processo mais simples, alguns softwares odontológicos já associam as informações registradas com as normas de preenchimento padrão. No entanto, caso você realize o preenchimento manual é preciso seguir algumas regras.


Veja, a seguir, as principais notações de como preencher um odontograma:


  • Se não houver necessidade de tratamento: preencha a área correspondente de verde;

  • Quando há necessidade de tratamento: faça o contorno vermelho da área;

  • Tratamento realizado: colora a área de azul;

  • Dente ausente (extraído): preencha a área de preto;

  • Dente incluso: faça o contorno de preto;

  • Diastema: faça dois riscos verticais em azul;

  • Excesso de restauração, isto é, área de retenção: ziguezague em vermelho;

  • Dente com indicação de tratamento endodôntico: traço vermelho na região do conduto radicular;

  • Doença periodontal: traço horizontal em vermelho na região do colo dentário;

  • Desgaste dental sem necessidade de restauração: risco diagonal verde;

  • Desgaste dental com necessidade de restauração: risco diagonal vermelho;

  • Lesão de cárie ativa: faça um semicírculo horizontal vermelho. Se a lesão apresentar cavidade, faça continuo, se não, faça tracejado;

  • Lesão de cárie inativa: faça um semicírculo horizontal verde. Do mesmo modo: caso haja cavidade, faça um semicírculo contínuo, se não, faça tracejado;

  • Restauração: círculo preenchido. Se o resultado for satisfatório, use verde, se não, use vermelho;

  • Restauração provisória: círculo vermelho não preenchido;

  • Extrusão dental: faça duas setas azuis na vertical com sentidos contrários;

  • Inclinação dental: desenhe setas em formato de U na direção correspondente à inclinação;

  • Envolvimento de furca: em caso de classe I faça setas em vermelho apontando para o centro. Para a classe II desenhe triângulos vermelhos vazados apontando para o meio. Para a classe III desenhe triângulos vermelhos preenchidos apontando para o meio;

  • Afecção mucogengival: asterisco verde.

 

Ficou alguma dúvida?! Então, veja abaixo o guia para odontograma preenchido da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto.

Recomendações adicionais para o preenchimento do odontograma

Para evitar confusões na interpretação do odontograma, o recomendado é utilizar dois documentos distintos: um odontograma inicial (anterior ao tratamento, isto é, utilizado na avaliação do paciente) e o odontograma de trabalho (que deve ser preenchido ao final dos procedimentos, indicando todas as alterações realizadas).


Além disso, para que as informações sejam fidedignas com a realidade, é fundamental que o cirurgião-dentista registre em qual face dentária está o problema ou onde foi realizado o procedimento. 


Esse processo é fundamental para comprovação judicial e para que outros profissionais acompanhem o caso.


Por fim, sempre preencha os fatores de risco e use o campo de observações para adicionar detalhes adicionais, como implantes e presença de próteses.

Como escolher o modelo de odontograma ideal?

Existem dois modelos de odontograma: de papel e digital. Entenda melhor sobre cada um:

Odontograma de papel

O odontograma de papel é antigo, mas é ainda utilizado por muitos cirurgiões-dentistas. A grande questão é que ele não aceita erros e pode levar um bom tempo para ser preenchido.


Outro problema do odontograma de papel é que ele pode ser facilmente perdido, seja por falta de cuidado na hora de armazenar os itens ou por problemas físicos, como goteira, enchente e até mesmo assalto. As informações perdidas não podem ser recuperadas.


Além disso, o dentista ainda precisa disponibilizar um espaço no consultório exclusivamente para armazenar uma grande quantidade de papéis. Com o tempo, esse processo passa a ser inviável.

Odontograma digital

Atualmente, diversos softwares odontológicos disponibilizam o recurso de odontograma completo, uma forma muito mais prática e segura de preencher e armazenar o documento.


Isso porque, ao optar pela versão eletrônica do odontograma, você não precisa se preocupar com espaço para armazenamento nem com a perda das fichas. Todas as informações são armazenadas em nuvens com total segurança e ainda há backups automáticos.


Outra grande vantagem é que diversos softwares odontológicos oferecem uma interface moderna e simples de usar, como resultado, o preenchimento da ficha é muito mais simples.


Além disso, o sistema oferece funcionalidades adicionais que vão além do odontograma, como ficha anamnese odontológica, agenda online, agendamento online, controle financeiro, controle de sessão e de equipamentos, controle de estoque, controle de vendas e muito mais.


Incrível, né?! Então, se você ainda não utiliza um software odontológico no seu consultório, acesse o conteúdo e descubra o que ele é capaz de fazer pela sua clínica. 

Preparado para começar?!

Entendeu como preencher o odontograma?! Como vimos, essa ferramenta é fundamental para a rotina de clínicas e consultórios odontológicos.


O uso correto do odontograma contribui para o sucesso do tratamento e para maior segurança dos pacientes, por isso, esperamos que este conteúdo tenha te ajudado.


Para mais conteúdos como este, continue acompanhando o blog do Simples Agenda. Afinal, por aqui, estamos de mãos dadas com o sucesso da sua clínica ou consultório!